PEQUENORADIOAMARELO

mail e msn: saraivacorreia@iol.pt

Terça-feira, Julho 31, 2007

A vizinha...

Madness - Our house


O pesadelo, o horror… Vai um gajo para a janela da cozinha buer água fresca e arejar um bocado. E quem é que aparece… Quem, quem… a vizinha com mais de cem quilos do primeiro esquerdo do prédio em frente em fio dental…



Meus amigos vou ter pesadelos do pior… O calor e os cem quilos da vizinha dão cabo de qualquer um…

Comments:

Zurich...


Orishas - Asi Fue


Dia de tar com o silva, dia te telefonar ao Rey, dia de teclar com duas miúdas giras giras…

Dia da Val me avisar que não terá na quinta e na Sexta no Messenger... Porque agora falamos todos os dias. Oh yeahhhh… Estas coisas fazem-me feliz. E ao que parece vou a Zurich daqui a duas semanas… Yeahhh…

Tou feliz…

Comments:

Segunda-feira, Julho 30, 2007

Coisas...

The Buggles - Video Killed The Radio Star


Mas o que eu queria mesmo dizer não seria que eu sou lindo e maravilhoso... Porque isso até toda a gente já sabe...


Comecei um novo blog... Que será uma espécie de livro/conto...

http://casatriste.blogspot.com/


Basicamente é isso... Tá um calor insuportável...

Comments:

lindo e maravilhoso...


Trabalhadores do Comércio - Chamem a Polícia




foto do ser lindo e maravilhoso sem t-shirt (agora percebo esta minha tara por dar beijinhos nos meus bracinhos... O povo grita: Tu és lindo... Tu és lindo...)


Comments:

Domingo, Julho 29, 2007

3


A Filipa é linda, linda… Quase como tu, ou ainda mais um bocadinho do que tu. Vejo-me num futuro muito próximo metido em problemas sérios e confusões indecentes. Filipa porque é que tinhas de ser assim. Cabelo fogueado a chamas laranjas e ziguezagues, sardas e um sorriso do tamanho do mundo. Sempre gostei de cabelos ruivos, lembrastes quando te pedi para pintares o cabelo. O relógio fica parado dez segundos, não sei o que lhe hei-de dizer, estou mumificado e atrapalhado com aquela presença incómoda. Sorrio em desespero. Sou o homem-múmia.

- Olá. Sou a Filipa.

- Olá. Alberto.

Dobro o jornal com vagar, tentando ganhar tempo e ficar menos inquieto. A Filipa é linda. Repito isto cinco ou seis vezes. Fico sempre atrapalhado com as mulheres bonitas, penso que elas jamais quererão alguma coisa comigo. Inspiro duas ou três vezes. Ela sabe ao vento sul, suave e quente como as noites de Verão, arrisco o Romance do Ralph Lauren.

- Então andas a procura alguém para dividires uma casa triste? Falares de uma casa triste não será de um génio de marketing? Deixa-me adivinhar és um economista frustrado. (sorrisos)

- Não terá sido a melhor ideia. Apanhaste-me. Percebo mais das letras do que dos números, mas vivo das contas, contabilizo.

- Então para além de uma casa triste também se aluga um dono triste que ainda por cima contabiliza. Exactamente o que eu andava a procura.

Rimo-nos os dois. Ela é fantástica. A alvura dos seus dentes ainda a torna mais bonita. Sinto-me o homem mais feliz do mundo por me estar a rir com a mulher mais linda do universo. Desculpa, distrai-me. Não devia pôr isto aqui. Desculpa. Continuámos a falar até ao meio-dia, sem cafés nem águas, esquecemo-nos de pedir. Se fosse mais novo ou estivesse menos deprimido estaria já irreversivelmente apaixonado por ela.

Beijamo-nos com calor, com o calor máximo permitido aos desconhecidos. Senti que não me queria separar da Filipa, queria que ela tivesse ficado ali comigo. Segui-a com os olhos até a porta e depois ao longo do rio, quando ela se finalmente se confundiu com o horizonte senti-me muito infeliz. Senti a tristeza do mundo na ponta dos dedos e no coração. Apetecia-me correr atrás dela e dizer-lhe que estava pronto para amá-la incondicionalmente, para sempre. Que podíamos ir buscar as coisas delas para a nossa casa. Mas senti-me muito mal, Joana. Disse ao Pedro que pagava depois e depois de sair da porta chorei.

Merda… Mil vezes merda…

Comments:

Sábado, Julho 28, 2007

dois


Tomei banho à pressa, comi qualquer coisa e vou agora para o café do Pedro. Vou encontrar-me com um tal de Rui Araújo. Tenho dez minutos para chegar lá. Depois falo com a Filipa e depois do almoço com os outros três. Mesmo antes destas coisas e do conhecimento de causa preocupo-me com as decisões, com o facto de te poder trair, pondo um mulher bonita e apetecível pela nossa casa, passeando pelos teus passos nus na cozinha e na sala, em frente do teu espelho, com roupas menores e sorrisos que dantes eram só teus e um bocadinho meus.

Tic tac… tic tac…

O tal de Rui sentou-se de frente para o rio. De certeza que foi o Pedro que o mandou sentar ali, na minha mesa quebra-desesperos-de-tar-na-nossa-casa… Tou atrasado sete minutos… Do café do Rui só sobraram os fumos. O gajo não esperou por mim.

- Desculpa ter chegado atrasado, não consegui estacionar logo aqui.

- Deixa tar. Cheguei agora mesmo. E de qualquer forma tava a precisar de cinco minutos para acordar.

- Pedro traz-me um café curto se faz favor.

Meia hora. Joana sinceramente não sei. Isto de escolher um gajo para morar comigo não é fácil. Implica que eu quase que faça um apreciação amorosa do tipo. Porque isto de escolher alguém para morar é quase como começar a andar com alguém. Tento não pensar muito nisso, que estou a fazer juízos subjectivos do gajo, que ponho a hipótese de viver com um gajo. Fodasse esta merda atrapalha-me. Mas o Rui é um gajo porreiro.

- Eu depois digo-te qualquer coisa. Ainda tenho que falar com mais quatro pessoas.

- Certo. Telefona-me.

Barulho de pagar. Moedas de bolso.

- Rui. Deixar tar, eu pago.

Peço outro café. A Filipa vem cá ter às onze, ainda falta meia-hora… Vou buscar o jornal do dia e começo a minha habitual leitura da última para a primeira página… Mais um ataque bombista no Iraque, sabe bem saber que o mundo continua igual mesmo depois de tu teres partido...


Comments:

um


Hoje finalmente arranjei coragem e passei pelo jornal. Já está. Agora esperar, esperar. Espero que alguém responda até ao final do mês. Desde que a Joana partiu cá de casa que as nossas coisas tem caminhado penosamente comigo. Penso na cor lilás das marchas fúnebres ou dos rústicos passeios com ícones entrevados pelo burburinho da cidade; sim, a nossa casa traz-me à memória destas coisas ou coisas piores. Deste que tu partiste tem sido assim. Por isso é que hoje passei pelo jornal.


“Procura-se pessoa normal para dividir casa triste. Três quartos. Fumador e dois peixinhos laranja 964658046”



Do nervoso miudinho da espera ficam os incontáveis cafés e garrafas de água pequenas com gás no café do Pedro. O anúncio saiu há quatro dias e só recebi cinco telefonemas. De cinco pessoas alguma há-de ser, tem de ser, até porque o fim do mês se alarga na minha cama e na minha conta. O dinheiro ou a falta dele ou o estado de decomposição das coisas na nossa casa preocupa-me. Amanhã falarei com eles. Wish me luck… Tenho saudades tuas...

Comments:

Sexta-feira, Julho 27, 2007

normal anormal...

K's Choice - 20,000 Seconds

Ao que parece o conceito de normalidade mexe com muita boa gente… E o que é ser normal? Sim, pergunto o que é ser normal? Isso vem nas cartilhas e nas enciclopédias?


Ser normal…


Esses caixotes conceptuais sempre me fizeram muita confusão… Muita mesmo…


o blog entrará em férias... Qualquer coisa mandem-me um mail...

Comments:

Quarta-feira, Julho 25, 2007

As mulheres e os livros...

Pixies - Where is my mind...

Tive quase para comprar o livro do Pedro Rolo Duarte… Shame on me…



Mas consegui resistir… Os livros são como as gajas, às vezes não é fácil resistir a uma leitura fácil e rápida mas completamente inconsequente…

Comments:

Socrátes não temos medo de ti...


Posso ter uma ideia um bocado estereotipada sobre o Manuel Alegre, penso que ele não terá a preparação técnica necessária ao exercício do poder executivo, que é um lírico e tal…





Mas é de louvar a consciência democrática de Manuel Alegre. Com mais ou menos razão Manuel Alegre tem-se pautado por ser uma voz independente dentro da maquinaria partidária da assembleia da república. Dizendo a viva voz a sua opinião e denunciando o inaceitável.

Quando me falam do 25 Abril parto-me sempre a rir, quando elevam os ditadores (haverá outro nome para estes senhores?) Mário Soares e o Álvaro Cunhal a heróis da revolução… A revolução não é um dia para celebrar, nem tão pouco paradas militares, a revolução são as pessoas como Manuel Alegre, que não comem e calam…

Apesar de ver com desagrado o clima de bufaria (agora toda a gente anda a usar esta palavrita…) e de medo na nossa sociedade civil fico feliz por sentir que Portugal é e há-de continuar a ser um país democrático e laico graças a pessoas como o Manuel Alegre.

Socrátes não temos medo de ti

Comments:

O lado certo dos trinta

GNR - Efectivamente (sim porque hj foi dia de concerto dos GNR e eu andei pelo backstage do concertio... chamem-me vip sff...)



Ainda estou no lado certo dos trinta. Yesss, yesss. Alegro-me com uma ostentação pedante. Como é bom pensar que ainda faltam dois anos para ter trintas e tal…

Para te dizer a verdade só tou escrevendo este post porque achei muita piada a isto de existirem dois lados dos trinta, o certo e o errado. No lado certo sonhamos, somos jovenzitos cheios de ideais e poucas ideias enquanto no lado errado dos trinta é tudo ao contrário, menos ideais e mais ideias…


Quando a Val me disse que ia converter-se ao Islão fiquei perplexo, ainda tentei armar-me das mais fortes armas de arremesso conceptuais para que ela mudasse de faixa mas nada. Quando estamos do lado certo dos trinta somos assim, tenazes e tenebrosos.


Não devia lembrar-me tantas vezes da Val, sinceramente que não devia mas às vezes lembro-me, o que é uma grande chatice… Isto do lembrar deve ser de quando temos o parque de estacionamento vazio…

Comments:

Terça-feira, Julho 24, 2007

Aparece cá em baixo...


Chupa salsicha-fresca que me manda sms do cu, tou aqui:



Aparece para a gente falar e eu para eu te pôr um âncora ferrugenta e cheia de algas por esse cuzinho aveirense acima…

ps: a praia tava um espetáculo...



Comments:

sms...


Hoje de manhã tinha esta bela mensagem no telemóvel... De um número anónimo...



s t tornas a aproximar dela dou cabo d ti filho d puta...



Anónimo já deixavas de usar botas de senhora e de apanhar nesse rabiosque e começavas a assinar as sms que mandas, como um homem…

Ops… tava-me a esquecer que o que tu gostas mesmo é de salsichão nesse rabinho, sua bichona do caralho…



E qt a aproximar-me dela... Dasse... Achas?? Tem juízo e vai mazé comprar umas salsichas frescas...

Comments:

Gostar de soslaio...

REM - Night Swimming

Tenho saudades de conversas que nunca chegaram a acontecer… Lembro-me vagamente de momentos do passado, das férias aqui e ali, de discussões intermináveis sobre o vagabundear do mundo, sobre a existência de Deus, sobre a importância da ciência, de falar de coisas sem importância nenhuma… Lembro-me até de coisas que nunca aconteceram…

Será que à medida que as memórias se vão perdendo vamos pondo outras melhores no seu lugar…


Ao longe tudo parece perfeito… Afinal até gostava dela… Construímos castelos no ar… Engraçado, gostamos sempre mais quando não temos, quando as coisas são passado…


Devo tar com o síndrome do gajo que já não pina há três semanas… Deve ser isso… É que só pode…

Comments:

Ricardo on the moon...


REM - Man on the moon


Quando tenho muitas coisas para fazer/pensar esqueço-me de mim e deixo andar… E é assim que andam as coisas… Simples, simples…


Quando isto me acontece sinto falta da barbárie de outros tempos mas penso em como é fixe tar no meu cantinho/caminho e sem confusões de maior monta…



E é assim… Tedium it’s my middle name…

Comments:

Segunda-feira, Julho 23, 2007

Lobotomias...


Quando as coisas acabam tentamos a todo custo esquecê-las no fundo das gavetas e quanto mais rapidamente melhor. Para que possamos finalmente descansar a cabeça. Apesar deste procedimento ser necessário, e na maioria das vezes imprescindível, para que a estória seja completamente fechada, às vezes apagamos coisas muito boas, coisas que nunca deveriam ser apagadas…

Essas coisas vão se diluindo com a cadência do tempo e de outras pessoas que aparecem ou reaparecem nas nossas vida…

Tenho pena de ir lobotomizando essas memórias but life goes on baby

Comments:

Meias de leite...

Radiohead – Anyone can play guitar


Há pessoas que me enchem as medidas e outras que nem por isso (a grande maioria)… Às vezes pergunto-me o que é acontecerá às que me enchem as medidas…

Penso também nas outras, nas que nem enchem uma meia de leite… Porque raios é que alguém gostará delas? Melhor, como é que alguém as amará perdidamente? Como é que essas pessoas meia de leite se irão safar, como poderão elas arcar com o peso de uma vida…



Penso também em mim. No facto de para algumas pessoas ser o máximo e para todas as outras ser mundano ou patético ou as duas coisas… Engraçado pensar nisto, na relatividade de tudo o que me rodeia, do meu juízo das coisas e pessoas e dos juízos dos outros…

Dormir…

Comments:

Domingo, Julho 22, 2007

Domingos...

Elvis Presley - (Marie's the Name) His Latest Flame


Fico-me por casa… Hoje é um daqueles dias melancomaníacos… Fico por casa por entre cadernos e coisas por fazer e minisestas periódicas. De certa forma sinto-me enjaulado no tempo, entre dois pontos equidistantes, longe para ali, longe para Cacilhas…

Se calhar ando a pensar demais, preocupo-me mais com o caminho per se do que com o destino final. Mas quem é que consegue pensar em feitos notáveis e sítios deslumbrantes quando é Domingo e não há pão fresco em lado nenhum.

Nunca gostei dos Domingos por causa do pão. Não ter pão como deve ser mortifica-me, bem mas não devo ser o único, até porque normalmente nunca ninguém gosta dos Domingos. O domingo devia ser trocado com a Quarta. O fds de dois dias só dá jeito quando temos que ir a qualquer lado… O domingo sempre foi um dia para esquecer, nunca consegui dissociar o Domingo da Segunda. Para mim o Domingo sempre foi o dia antes da Segunda, o dia em que não encontramos pão fresco em lado nenhum.



Por falar em pão, o que me apetecia agora mesmo era uma bola de Berlim com creme…

Comments:

Sábado, Julho 21, 2007

Dois dedos de conversa...

Chatices e mais chatices… E mais chatices…

Enfim o verdadeiro dia de merda, mas mesmo o verdadeiro dia de merda… Depois lá consegui sair de casa e esquecer-me das chatices, pelo menos temporariamente… Tudo muito fish, buida, conversia, concerto do maravilhoso Toy, pular, mas buida… Encontrar o Ricardo e entre dois finos falar da vida… Foi mesmo fish… Acho que mesmo sem o Ricardo saber o gajo mudou-me a vida…

Fiquei mesmo mesmo contente, por vê-lo, dar dois dedos de conversa e beber dois finos com ele… Às vezes complicamos as cenas mais fácies do mundo…


É isso… não complicanão complica

Comments:

Sexta-feira, Julho 20, 2007

Muito à frente...


- Posso fazer xixi para cima de ti? Posso? Posso? Só um bocadinho… Deixas?

- Podes, mas só se for na banheira…

- Deixas mesmo? Posso mesmo?

- Podes…

- Fish… Nunca tinha feito xixi para cima de ninguém…



Eu sou mesmo muito à frente…

Comments:

Quinta-feira, Julho 19, 2007

Porreirices...

Black - It's A Wonderful Life

Hoje andei a pensar nisso de ser um gajo porreiro… Já me cruzei com algumas pessoas porreiras na vida, pessoas mesmo muito muito porreiras. E apesar de me considerar uma pessoa excêntrica e não ser perfeito em muita coisa, muita gente me acha porreiro… E essa coisa de ser um gajo porreiro é provavelmente uma das qualidades que mais gosto em mim, isso e ser muito bom na cama (mas para isso eu faço os trabalhos de casa… lol)

Beijinhos nos bracinhos… beijinhos nos bracinhos… adoro-me…

Comments:

Gaijatalk...

Hoobastank - Reason

É muito bom sair com alguém sem a mínima responsabilidade ou segundas intenções. Andei/vouvoltaraandar durante uns dias com duas miúdas giras giras e simpáticas (não que isso da simpatia interesse… cof… cof…) com ideias novas, diferentes. É bom voltar a ter aquelas conversas que só se têm com miúdas (a muy famosa gaijatalk). É bom ter duas amizades caídas do ciberespaço.

E já tinha muitas saudades disso, de falar com miúdas. Com a Val, apesar de tudo ter corrido mal, tínhamos conversas espectaculares e sinceramente às vezes tenho mais falta disso do que do resto, até porque o resto sempre foi de fácil solução…

Falar de coisas que normalmente não falaria com amigos, decotes, miúdas encantadoras, ideias retorcidas, sei lá tanta coisa.

E assim vão as coisas, tese a bom ritmo e miúdas giras… Mas melhor melhor é tomar a vacina anti-paixão, eu que sou esse gaijo que se apaixona a todo instante… E eu que gosto tanto de miúdas com sotaques

Mas melhor do que isso é tar calmo e sereno… Com as minhas prioridades definidas e feliz…

Comments:

Quarta-feira, Julho 18, 2007

Cegonhices...

Johnny Cash - Ring Of Fire

Segundo o DN de ontem, um estatístico japonês calculou que no ano 2800 não existiriam mais japonocas, segundo a taxa de natalidade japonesa actual. Os japoneses estavam até a tentar cativar a grande comunidade nipónico-descendente do Brasil a regressar ao Japão para combater esse fenómeno de “extinção”.

Portugal, como qualquer pais do primeiro mundo (nalguma coisa havíamos de ter paridade) caminha na mesma direcção, mais milénio menos milénio deixarão de existir portugueses, devido a nossa baixa taxa de natalidade. Penso nisso, especialmente em termos pessoais. Vinte em cada cem pessoas ocidentais não tem filhos. A sensação de que posso vir a ser uma dessas vinte pessoas assusta-me.



Não passar os meus genes (e tanto gene que eu tenho desperdiçado… ai como tenho…) mexe comigo… Porque quando morrer vou mesmo morrer para sempre…

Tenho que fecundar… Tenho que fecundar… Tenho que fecundar…


A próxima vez que tiver com alguém faço um furinho no preservativo… Ahhh…. Ahhh…

Comments:

Segunda-feira, Julho 16, 2007

Namorar porquê?...

Anathema - Are You There?

Quando tudo acaba de vez… Quando já não se espera nenhum telefonema, mensagem, mail ou wathever, experimenta-se a mais absoluta das liberdades. Temos tempo para fazer tudo o queremos e devemos fazer. Apesar de uma certa sensação de melancolia, tristeza ou outra coisa qualquer temos o mundo na nossa mão. Somos completamente livres e poderosos. Podemos dormir com quem quisermos, não dar sinais de vida, acordar mal dispostos, viajar por ai, convidar para cafezinhos quem nós bem entendermos.

Não percebo porque é que alguém há-de querer namorar. Namorar quando se têm amigos que gostam da bola, namorar quando se têm amigas que gostam das bolas.

Namorar porquê? mim não entender...

Comments:

Coninhas apertadinhas...

Dire Straits - Sultans Of Swing


Zunidos de dinossauros, melomanias, ovos de codornizes, barcos de papel, folhas amarelas…


Das mil e uma ideias que me passam pela cabeça só uma palavra composta ganha uma importância maior. Coninhas apertadinhas, isso mesmo coninhas apertadinhas, que palavra tão bela… Coninhas apertadinhas… Yamy... yamy… Sim porque uma coninha apertadinha tem efectivamente outra graça… Esta estória relaciona-se com o tamanho do pénis e não me venham cá dizer que o tamanho do pénis não é importante…


Bem era só mesmo para dizer isto…

Comments:

Quinta-feira, Julho 12, 2007

Rabos...




Tava a ver qq coisa ateatrada na televisão e oubi isto:

As pernas curtas fazem o rabo das mulheres parecer maior… Como o rabo está mais perto do chão cria-se uma ilusão óptica e tal…

Comments:

Na minha Televisão...

Caetano Veloso - Sonhos


Apanho a o canal 2 marroquino na minha televisão portátil… Ahhh… Ahhh… Bem me parecia que isso de dizerem que as gentes do sul seriam mouros não seria um mito urbano, nada disso…



oniuqorram em-otnis

Comments:

O meu Melhor Amigo...

Michael Nyman - The Heart Asks Pleasure First (musiquita do Piano…)


Hordas de pensamentos desorganizados invadem-me os 10 metros quadrados do meu quarto e sinto-me sozinho. Orgulhosamente só ou sozinho ou isso. Tanta merda do sozinho só para te dizer que tenho saudades de ter um melhor amigo. Não que esse melhor amigo seja uma pessoa especifica, o Pedro ou quem quer que seja, não nada disso. Acho que temos vários melhores amigos ao longo da vida, sem segundos postos.

Num dado tempo o X é o nosso melhor amigo, passados uns tempos (ou porque passaram mesmo uns tempos ou porque mudámos outra vez de cidade ou porque calhou) o Y é o nosso melhor amigo e por assim adiante. Mas apesar das circunstâncias, das mudanças essas pessoas são sempre as nossas melhores amigas ou pelo menos podem voltar a ser num estalar de dedos.

Tenho saudades desses tempos dos melhores amigos, tenho saudades dos meus melhores amigos, tenho saudades de partilhar. Também tenho saudades de ter uma melhor amiga, alguém do outro lado da barricada. Alguém que me possa mostrar um mundo diferente do meu.


Resumindo-me isto tudo, tudo me entedia mortalmente. Se pudesse pegava em mim e ia por ai ter com os meus melhores amigos.

Comments:

Domingo, Julho 08, 2007

Diz que disse… Disse que Diz...


Não vou apagar o último post, porque se disse disse… Mas às vezes dizemos coisas a quente só por dizer ou até mesmo só para magoar… E eu como qualquer outra pessoa às vezes engano-me, às vezes digo barbaridades, às vezes sou medíocre e por ai fora…

Desculpa

Comments:

Sábado, Julho 07, 2007

Ponto da Situação...


She Wants Revenge – Sister (bem que estes gajos podiam vir cá… no Berão)


Às vezes fazem-me muitas perguntas, às vezes chateiam-me, às vezes nem por isso. È engraçado saber que há opiniões que diferem da minha (como é que é possível?). Do alto do meu incompreendido e altaneiro pedestal despótico tenho dificuldade em perceber algumas coisas. Às vezes gostava que toda a gente pensasse como eu. Sai um mundinho monotemático sff, cheio de gajas boas com o meu modo de pensar (até me custa a imaginar… seria o paraíso…).

Bem mas o mundo não é um lugar lindo e maravilhoso. Estranhamente não há gajas boas com a minha magnífica personalidade (mas pensando bem se calhar até é melhor que não haja…).

O tempo aqui por baixo tá quente demais. Tou que nem posso… Na Suiça não haviam cá destes calores e suores frios. Em casa não se pode estar mas ao mesmo tempo se sair sinto-me mal, porque devia estar a trabalhar…

Os dias tem vindo a acalmar depois de algumas tropelias em que me vi metido, mea culpa, efectivamente mea culpa. Os dias voltaram a ser calminhos e voltei a ser o Ricardo com cara de insucesso escolar de sempre. O que é bom, é bom voltar a ter todo o mundo na palma da mão.

Hoje a Alice perguntava-me pelos novos episódios da minha vida. O que é que se ia passar a seguir? E disse-me que não se conseguia perceber o ponto da situação.

Alice vou tentar pôr cobro a isso:

Depois de mais uma relação falhada (será que tou condenado ao insucesso eterno?) vejo-me outra vez solteiro e mau rapaz, cheio de alegria, com finalmente mais tempo para mim e tudo o resto. Foi como se tivesse tirado uma pedreira dos ombros, ufa. Tenho sempre o azar de nunca gostar das pessoas com quem ando, mas quando se é pouco atraente um gajo sujeita-se aos mais hediondos crimes, não é berdade.

Tirando a cama que corre sempre muito bem (acho eu… bem… eu sei que sou muita muita bom na cama… pois toda a gente já sabe que eu sou a melhor queca a sul do Tejo) o resto fica-se normalmente sempre por uma estranha insipiência fastidiosa e pesarosa. Acho que até hoje a pessoa com quem mais gostei de estar foi com a Val. Apesar dela ter sérias patologias do foro neurológico. Talvez isso se tenha ficado a dever ao facto dela ser culturalmente avançada, ter uma vivência diferente, por ser mais inteligente do que eu, ser gira, sei lá tanta coisa… Mas depois na cama nãaaa… As portuguesas são de facto mais desenvoltas nessas coisas de fazer o Amor… Não acredito em pessoas frígidas mas fazer amor só três vezes por semana não é normal…


Rewind… Rewind… Prometo-me a mim mesmo não gostar de alguém só porque calha ou porque dá jeito. Não me deixarei seduzir por manobras quequinas…


Às vezes tenho pena de mim. Pena de nunca tenha ter gostado muito muito muito muito muito de alguém. Pelo menos de uma forma incondicional e doentia. Às vezes chego simplesmente tarde demais e as pessoas já têm o seu pikeno príncipe, às vezes as pessoas não são aquilo que estava à espera, às vezes corre tudo mal, às vezes ponho os pés pelas mãos, olha tanta coisa...


Tou melhor… Este texto soube-me pela vida…

Comments:

Quinta-feira, Julho 05, 2007

inevitabilidades e irreversabilidades...


Orishas – Ausencia

Assim de repente apercebi-me das inevitabilidades de algumas coisas e das irreversabilidades de outras. Se calhar isto dos amores e das amizades é um bom exemplo: nascem de inevitabilidades e nunca chegam a ser irreversíveis… As coisas de valor podem voltar sempre a acontecer. É por isso que às vezes é complicado fechar estórias antigas, pelo menos as que mexem connosco. Passam-me pela cabeça coisas do passado e sorrio… Mas há outras que simplesmente são irreversíveis… Eu bem sei que há muitos tons de cinzento...

Será que é possível dedicarmo-nos de corpo e alma à pessoa que amamos e nunca paramos (nem um bocadinho… nem um cadinho poconino…) para pensar noutra pessoa, que temos muitas saudades dela. Foda-se sou um promíscuo…


Estas coisas dão-me nós na cabeça e assassinam-me a realidade… Gostava de saber como é que é isso de ter todas as certezas do mundo… Se calhar anda toda a gente a gabar-se de uma coisa que não existe…

Gabarolas

E afinal de contas macho que é macho deveria tar-se a cagar para isso… Porque o que realmente interessa é empurrar cocó aqui e ali…


Fins aviat

Comments:

Terça-feira, Julho 03, 2007

Tochas...

Skunk Anansie - You'll Follow Me Down


Daqui a meia hora vou ver o Pedro Tochas... Yeahhhh... Tochas és o maior... Desculpa lá Diogo Quintela...

Comments:

Sub qualquer coisa...

Uma qualquer dos Orishas…

Hoje em conversa acusaram-me de raios e coriscos, que o rádio caminhava irreversivelmente na direcção da abichanice, que isto era uma panasquice… Nunca escrevi para agradar troianos por isso isto não muda…

Nunca fui muito de mudar de opinião só por mudar. Errei, obviamente que já cometi os mais hediondos erros, dei um desconto ao Santana Lopes por exemplo e dou por um desconto ao Sócrates apesar de ser um bocado um fundamentalista social-democrático, anfan erros…

Mas voltando à minha vida pessoal, que isso é o que realmente interessa ou pelo menos o que me interessa… Desde há uns anos que defendo que os namorados, amantes ou whatfuckingever não devem morar juntos, que é uma coisa que chateia… Que se deve morar em casas separadas e estar juntos quando realmente queremos. Eu bem sei que isto é complicado para o sexo feminino perceber, que ser fofinho é o caminho eleito pelas hostes femininas para a eterna felicidade. Mas há que ter os dias de gajo para ver os inacreditavelmente merdosos jogos dos sub qualquer coisa contra os sub qualquer coisa de um país que ninguém ouviu falar ou quer ningém quer realmente saber…

Comments:

Segunda-feira, Julho 02, 2007

Interesses...

Xutos e Pontapés - Estupidez

Às vezes o nosso interesse por alguém nasce do interesse que essa pessoa nutre por nós. Não será o Amor uma coisa que se encomenda no ebay e prontos… metaforizando claro está…

Quantas e quantas vezes damos por nós com a guarda baixa quando se interessam por nós… No fundo queremos que gostem de nós. Sim, isso é principalmente o principal, o mais importante.

Que gostem de nós… repito… que gostem de nós… queremos que gostem de nós…


Bem esqueçam este post… A lua cheia dá cabo de mim…

Comments:

Lua cheia...



Há bocadinho...

Comments:

made in China...


Pearl Jam - Wishlist

For unfamiliar reasons I decided to write you in English. My lousy English is getting rotten and rusty and all the stuff from my years in Zurich is slowing fading away. Yesterday Jan email me with goodies and missing feelings. It’s good to know that even in presence of the speedy steady pace of time our friends don’t forget you, even in our absence. It’s good and overwhelming to know that we just have to drop a line and get back to the last moment.

My stayings in Portugal are getting to a point of an unbearable burden to myself. I am missing all the excitement of living in a big city, of living in the middle of different culture and so on. Probably I am just decaying to an unknown destiny, to a place full of lowliness and dark despair.

The sun is bright and hot in the southern latitudes but the will to go out and enjoy it is running low. I spend all my livings between my room and the kitchen and surrounded by scientific papers and stupid TV shows. For sure its good to be with my parents and see my friends in the random times that I manage to put myself together to hang with them. But everything is different, in ten years lots of stuff happen. I, we, got fucking older and this is a big problem, no more time for innocent sideways. Our dreams are inversely proportional to our age and the background feeling that I am going to died young and beautiful (remember that old fancy story that i was telling you all the time: that I would became peanut butter at thirty three) are kind of fucking me up.

Ok. Time to press play again… This song rocks… Hail, hail Pearl Jam.

Fly, fly Superman...

Comments:

Francesinha...

K's Choice - 20,000 Seconds

O que me apetecia mesmo mesmo nestes dias de calores era uma francesinha, uma francesinha daquelas, uma daquelas que se pode comer… Cof… Cof… francesinha... Yamy... Yamy...



Mas se for uma daquelas que não é de comer também na faz mal, até porque bom bom é o molhinho ultramegasecreto...

Comments: